Estratégia Corporativa

Cada vez mais as empresas estão trabalhando na busca de eficiência e no aperfeiçoamento nos processos internos, a fim de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa 12/07/2017
COMPARTILHE

BRF busca eficiência com Programa de Excelência Energética

As mudanças climáticas estão cada vez mais trazendo os desafios da sustentabilidade à tona para o setor empresarial, que passa a perceber com mais intensidade os riscos e oportunidades para os negócios. Dentro deste contexto, a BRF decidiu desenvolver o Programa de Excelência Energética, com o objetivo de estruturar uma equipe de técnicos das áreas de utilidades e meio ambiente para identificar oportunidades de melhoria nos processos da companhia, buscando eficiência energética.

 

Emissões evitadas da CNEC equivalem a 25% de suas emissões totais

A CNEC WorleyParsons é uma das fundadoras do Programa Brasileiro GHG Protocol e aderiu à Plataforma Empresas Pelo Clima em 2011, reforçando seu compromisso com a mensuração e gestão de gases de efeito estufa (GEE) rumo a uma economia de baixo carbono. Internamente, a empresa possui um programa de gestão de GEE consolidado e auditado desde 2007.

 

EDP no Brasil incorpora o tema da mudança do clima no seu planejamento e processos decisórios

A preocupação com as questões de mudanças climáticas e o caminho para uma economia de baixo carbono está em pauta na EDP. Desde 2007, a empresa elabora o inventário de emissões e, a partir de 2009, passou a contabilizar no inventário as emissões de viagens aéreas e as perdas técnicas das redes de distribuição de energia. Por atuar fortemente na geração de energia renovável, o grupo possui três projetos de Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) registrados dentro das regras do Protocolo de Quioto.

 

Com o programa TI Verde, o Itaú Unibanco traz processos mais eficientes e sustentáveis dentro do banco

A TI (Tecnologia da Informação) Verde traz processos mais eficientes para toda a estrutura do Banco Itaú, desde mudança de equipamentos a métodos de trabalho, buscando a redução dos custos operacionais e dos impactos no meio ambiente, como a emissão de CO2 e o consumo de energia elétrica. O programa está baseado em quatro pilares: o ciclo de vida dos produtos, a eficiência energética, o green workplace e aplicativos verdes. Vale destacar que a área de TI é responsável por, aproximadamente, 50% da energia elétrica consumida por toda a holding.

 

Vale atua com o compromisso de contribuir para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono

A Vale elabora o seu inventário de emissões de gases de efeito estufa (GEE) desde 2005. Esta iniciativa permitiu à empresa conhecer o seu perfil de emissões, e, a partir de então, desenvolver estratégias e planos para seguir o modelo de desenvolvimento baseado em uma economia de baixo carbono. Alguns exemplos dessas ações são: investimentos na proteção de florestas e outros ecossistemas; pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias; melhoria na eficiência energética e intensificação do uso de fontes renováveis de energia. Além disso, a Vale apoia e participa da mobilização conjunta de organizações setoriais, governo e empresas a fim de contribuir com o desenvolvimento de marcos regulatórios, na busca de soluções para as mudanças climáticas.

 

Natura busca soluções para desafios climáticos por meio do Programa Carbono Neutro

A Natura entende que o desafio das mudanças climáticas deve ser enfrentado de forma colaborativa por todos, por isso assume seu papel na busca de soluções para a superação da crise climática e acredita que o setor empresarial tem a capacidade de influenciar o poder público e a sociedade civil de forma a estabelecer uma economia de baixo carbono. Neste contexto, foi criado em 2007 o Programa Natura Carbono Neutro, para promover uma redução contínua e significativa das emissões de gases de efeito estufa (GEE) e reduzir o impacto que causa, evitando que as emissões cresçam proporcionais às operações da empresa.

 

Cogeração em Termelétrica da Petrobras evita emissões da ordem de 453 mil toneladas de CO2 equivalente por ano

Um caso de projeto de eficiência energética que acarreta em redução de emissões de GEE é o sistema de cogeração da Usina Termelétrica Euzébio Rocha (UTE-EZR) em Cubatão-SP. A usina surgiu como uma oportunidade de negócio para área de Gás e Energia e de modernização do sistema termoelétrico da Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), da área de Refino, vizinha ao local de implantação da usina. Desta forma, a UTE-EZR foi concebida em ciclo combinado com cogeração, possibilitando fornecer vapor de forma mais eficiente para a refinaria. 

 

Santos Brasil reduz emissões em 14% referente às operações no Tecon Santos, conforme índice adotado pela empresa

Uso de caminhões novos e otimização das operações com guindastes de pátio são algumas das ações implementadas pela companhia para diminuir suas emissões

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.